A dança aérea foi reconhecida nos Estados Unidos em 1970. Um dos primeiros registros da dança aérea foi através de Terry Sendgraff, em Oakland, Califórnia. A aerial dance utiliza equipamentos normalmente presos no teto, permitindo a utilização livre do espaço nas três dimensões. Cada tipo de equipamento (lira, trapézio, tecido ou cordas) permite movimentos e equilíbrios distintos.

 

Um dos primeiros coreógrafos a utilizar o que agora pensamos como aerial dance foi Trisha Brown, 1968-1971. No final dos anos 90, a companhia de dança aérea argentina chamada De La Guarda ganhou notoriedade em Londres por seu show combinando arte performática com dança aérea. Outra é a Bandaloop, a companhia de dança aérea mais famosa e impressionante dos Estados Unidos, fundada por Amelia Rudolph, dançarina e alpinista.

 

Em Boulder, Colorado, a Frequent Flyers Productions produz o Festival de Dança Aérea – o 1º de seu tipo – desde julho de 1999. Já na Bretanha, no norte da França, o festival é chamado Les Rencontres Danse Aeriennes (LRDA, ou “Aerial Dance Encounters”) – fundado em 2008, por Fred Deb. Fred Deb foi um dos precursores da dança aérea usando tecido na França. Deb começou sua empresa Drapés Aériens em 2001.

Existe também o Irish Aerial Dance Festival, organizado pela Fidget Feet, uma companhia de teatro de dança aérea com sede na Irlanda, dirigida pelos diretores artísticos: Chantal McCormick e Jym Daly. Na Itália, uma empresa emergente de dança aérea (Cafelulé), trouxe a disciplina da dança contemporânea em um estágio vertical.

O primeiro e único livro detalhando a história da dança aérea foi publicado em 1988 pela Human Kinetics: Jayne C. Bernasconi e Nancy E. Smith – “Aerial Dance”.

 

Outros exemplos de artistas da dança aérea são: Joanna Haigood, do Teatro de Dança de Zaccho, Sally Jacques de “Blue Lapis Light” e Karen A. Fuhrman, da Grounded Aerial.

Dança aérea com cordas elásticas
Indoor Sky Dance, Bungee Assisted Dance, Vertical Dance, Wall Dance e Ballet Bungee, são alguns dos nomes usados para a modalidade de dança aérea que utiliza cordas elásticas (bungee cords). Trata-se de uma divertida e benéfica forma de dança e treinamento que mistura técnicas modernas da dança com modalidades circenses e escalada.

 

Em 1999, essa técnica de dança engenhosa, ainda desconhecida, foi desenvolvida originalmente pela Wired Aerial Theatre (Liverpool). Nesta modalidade o artista usava uma cadeirinha especial que está conectado a um bungee cord personalizado. O bungee estava conectado na parte de trás do corpo, para que o indivíduo pudesse se mover sem restrições na sua frente e sendo tensionado para poder mover-se dinamicamente ao redor do chão, enquanto experimentava sensações de elevação, vôo, salto e poder. Os criadores, Wendy e Jamie, uniram seus conhecimentos – experiência da dança contemporânea de Wendy e conhecimento técnico aéreo de escalada de Jamie – para desenvolver um estranho híbrido de habilidades de circo, dança contemporânea e técnica de escalada. Assim nascia a dança aérea com elásticos.

 

No Brasil, nascida em 1986, a Intrépida Trupe já arrancava aplausos por onde se apresentava misturando circo, dança, teatro e música. A Companhia já utilizava elásticos presos bilateralmente em suas apresentações, como pode ser visto no belíssimo espetáculo “Mete gol”.

 

 

BUNGEE DANCE

Em 2016, a fisioterapeuta, dançarina e coreógrafa premiada, Juliana Stagliorio, e seu irmão, educador físico, Carlos Stagliorio, apresentam no Brasil a modalidade de dança aérea, batizada e registrada como BUNGEE DANCE. Similarmente como os ingleses de Liverpool, utilizam uma cadeirinha semelhante às de escalada com elásticos presos num ponto posterior e, adicionalmente, com a variação de utilização no ponto anterior, conforme aprimoramento realizado com grandes artistas em Nova Iorque.

Reafirmando e ampliando a dança aérea com elásticos no País e consolidando a marca BUNGEE DANCE como principal nome da modalidade no Brasil e América Latina, o Instituto de Excelência em Saúde e Escola de Dança Juliana Stagliorio, detentores das marcas BUNGEE DANCE, BUNGEE WORKOUT e BUNGEE FIT, realizaram em Maio de 2017 o I Curso de Formação de Instrutores em BUNGEE DANCE, que contou com a presença internacional de um dos maiores nomes da dança aérea com elásticos no mundo, a Karen Fuhrman, fundadora e diretora artística da Companhia Grounded Aerial, de Nova Iorque, EUA. Foi nesse momento que a modalidade se tornou uma das sensações das academias de dança e fitness e o número de praticantes não para de crescer.

 

Texto extraído da Apostila do Curso de Capacitação em BUNGEE DANCE. Caso deseje utilizar trechos, segue referência para citação: STAGLIORIO, Juliana. Curso Livre de Bungee Dance. São Paulo, 2017. Apostila.